sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Minha primeira refeição chinesa (retrospectiva)


Como eu não consegui escrever no blogue durante os primeiros dias, as notícias acabaram atrasando e se acumulando. Por isso, vou contar por enquanto só algumas das muitas histórias; as outras ficam para quando eu voltar ao Brasil.
Minha primeira refeição chinesa foi num fast-food. Exatamente na saída da Cidade Proibida: vi que os chineses estavam se deliciando com o conteúdo de uma caixa de papel e resolvi investigar. Fui até o balcão e perguntei o que havia nas caixas. "Meal", é claro, foi a resposta da balconista. Havia de dois tipos: "chicken" e "sea food". Pensei comigo: nunca se sabe o que esperar de frutos do mar; já um frango é terreno seguro... Pedi um de frango. Para acompanhar, chá gelado, tipo Ice Tea - há por toda a parte, é barato e eu gosto bastante.
Então, a refeição... Um chinesinho invocado (como aqueles atendentes frenéticos do McDonald's que fazem tudo automaticamente, correndo contra o tempo) pegou a caixa e abriu. Havia um pote plástico com arroz; ele jogou por cima o conteúdo de um envelope (o tal frango, com batata e um molho bem apimentado, como descobri depois). Pegou um estilete, abriu furiosamente dois saquinhos plásticos que havia no fundo da caixa, misturou-os, colocou o pote com a comida por cima, tampou tudo e me entregou.
O negócio começou a fumegar. Um daqueles saquinhos tinha água, o outro tinha algum reagente químico muito, muito exotérmico em contato com a água. Eu fiquei ali parado e surpreso, vendo aquela caixa ferver e começar a queimar minhas mãos. Um casal que estava próximo se apiedou de mim e me convidou para sentar junto deles. Disseram que eu deveria esperar 8 minutos. Sentei e esperei. Lá pelo sexto minuto, a minha curiosidade fez com que eu quisesse levantar a tampa da caixa, no que fui impedido pelo casal - para minha segurança, suponho.
Quando passaram os 8 minutos, a mistura parou de evaporar e a comida estava quente. Peguei a colherinha que havia na caixa, menor que uma colher de chá, e comecei a pesquisa gastronômica. Quente. Bem apimentado. O arroz é diferente, com um sabor marcante e agradável, acho que é arroz-de-jasmim. Mas onde estava o frango? Olhando com atenção para a caixa, identifiquei alguns ossos, algumas pelancas e, ah! um pedaço de pé de galinha! Não fui enganado, aquilo era mesmo um galináceo...
Eu me senti como o Groo (quem lembra do personagem do Sergio Aragonés), que adorava miúdos... Minha dúvida seguinte foi: será que eles esperam que eu coma todos esses ossos que estão triturados e misturados no molho? Não vi ninguém catando nada na comida e não quis perguntar ao casal. Por via das dúvidas, separei discretamente os ossos da minha comida...
O que importa é que sobrevivi. Depois desta, já vieram outras esquisitices. Estou mantendo a média de uma refeição chinesa por dia; o resto é McDonald's ou KFC - muito barato, como tudo por aqui. Aliás, a caixa com "frango" mais meio litro de "Ice Tea" custa o equivalente a 5 reais, o mesmo preço de um Número 1 no McDonald's daqui.
Enfim... Estou sobrevivendo!

6 comentários:

rejane disse...

Ah... mas voltar pro Brasil sem comer peo menos um escorpiãozinho??? rsrsrs

Juliana Carvalho disse...

hehehe, é isso aí!!! prova um escorpiãozinho!!!! essa aventura gastronômica vai render muitos posts!!! Beijo Ju

Anie disse...

N esqueça de trazer um espetinho!!!

Michelle Müller disse...

Báh amigo que experiência gatronômica mais sensorial esta tua rsrsrsr... e que delícia ver a Mauren ganhar ouro hein?1 Não te vi pela tv, porque na verdade não assisti só vi depois :(
Aproveita muiiiiiiiiito!!
estrelinhas coloridas pra ti... ai do outro lado do mundo

Renata Teixeira disse...

Será que a China algum dia ganhará uma Engia???? Sei não...

Eduardo Trindade disse...

As perspectivas para uma Enguia não parecem animadoras, mas só vamos saber se o Guia Puffin enviar uma missão investigativa especial!