quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Preparativos

O planejamento de uma viagem costuma ser, por si só, uma outra viagem. Ainda mais quando se trata de lugares tão diversos do nosso cotidiano quanto Índia e China! Pois, enquanto fazia os preparativos, eu me deparei com várias pequenas situações um tanto curiosas que, aos poucos, foram servindo de tempero (ou massala, como dizem os indianos) para tudo que estou prestes a ver.

O site que tem horário de funcionamento
Uma parte importante do meu planejamento para a Índia era reservar as passagens de trem. Apesar de eu, obviamente, não estar acostumado a reservas de trem no Brasil - quanto mais na Índia -, até que não foi difícil. Mas o curioso é que a reserva precisa ser feita no horário comercial (segundo o fuso horário indiano, é claro). O site da empresa de trem fecha em certos horários, exatamente como uma loja de verdade! Talvez os bytes também precisem descansar, e ninguém havia se dado conta disso antes... Ou então a influência portuguesa na Índia é ainda mais forte do que eu pensava.

As opções de comida no avião
Minha viagem inclui um trecho doméstico de avião na Índia. Certo, basta ver as opções, escolher qual companhia aérea/horário/preço é mais conveniente e fazer a reserva, como fazemos no Brasil. Mas... quem viaja há mais tempo há de lembrar que, há alguns anos, as cias. aéreas ofereciam opções de refeições especiais. Uma empresa que tivesse um bom serviço, como a antiga VARIG, chegava a ter meia dúzia de opções: comum, light, frutos do mar, vegetariana, frutas, infantil. E na Índia? A Jet Airways oferece, num trecho curto, 27 opções! A maioria é de opções vegetarianas mais ou menos restritivas para atender às diferentes religiões que formam o caldeirão cultural do país. Sem contar a comida kosher, muçulmana... Eu escolhi a opção "não-vegetariana". Como além desta havia uma "refeição ocidental", também não-vegetariana, acho que a minha opção garante um nível mínimo de exotismo. Desde que não venha um rato grelhado ou um espetinho de barata...

A livraria
Ganhei um cupom de desconto numa loja indiana e, por curiosidade, visitei o site deles, a la Submarino. Fui na seção de livros. Além da classificação a que estamos acostumados (ficção, não-ficção, auto-ajuda, técnicos etc.), os livros estão divididos por idioma. São 11 opções que incluem, além de algumas línguas européias, hindi, tâmil, malaiala, telugu e outras - todas línguas oficiais da Índia! Não é fácil imaginar a convivência num país tão diverso... Bom, eu visitarei a região que fala hindi, além do inglês, e prometo trazer pelo menos um livro ou revista deles, mesmo que eu entenda praticamente nada!

9 comentários:

dilsonlira disse...

Uma foto do espetinho de barata glaceada acompanhado de patê de miolo de babuíno com ervas daninhas servido pela compainha aérea seria uma boa prova de tua coragem.

Eduardo Trindade disse...

Por enquanto, soh saboreei os quitutes da Sala VIP da Air France, onde entrei por ter o cartao Petroleum Club - basta trabalhar em empresa do ramo de petroleo!
No mais, Paris - que eh mesmo linda e aonde precisarei voltar com mais calma. Agora, prestes a embarcar para Pequim.
Ah, e tentarei conseguir ingresso para Brasil x Argentina!

rejane disse...

AH!! Quero saber se tu viu a Mona Lisa!!! E se ela é parecida com aquele quebra-cabeças... rsrsrs A essa hora tu está indo rumo a Pequim... Mas não inventa de comer baratas não!!!Boa viagem!!!

mmaurelio disse...

Olá Eduardo. Por favor, acesse seu e-mail (edt@poetic.com). Abraços! Valério

jéssica disse...

Aiaiaiaai espero q não tenha conseguido o ingresso... q vexame! E ainda vai ver a argentina agora!!!
Boa viagem, manda noticias!!
Bjsss

rejane disse...

OI!!!!!!!!
Conta logo: como é o mundo de cabeça pra baixo???
Que fiasco, foi ver o jogo? Vai ter coragem de ver a final com a Argentina??
Escreve!!!!!
Beijos!!

Cláudio César disse...

Parabens Dudu! me senti bem representado eu e o Bairo São Geraldo ai desse lado do mundo (o site indiano de ferrovias sai do ar prá atualizar, eles transportam 100 milhões de passageiros/dia em cem mil rotas rotas controladas por quase hum milhão funcionários),
já vi que tu é pé quente, traz mais
medalhas prá nós, abraço Cláudio Bonotto.

Renata Teixeira disse...

Bytes se cansam sim. Já ouvi casos de bytes super estressados! É verdade!!! Foi a Toupeirinha quem me contou.
Será que devo entender a "influência portuguesa na Índia" como algo pejorativo??? :-D
Qual livro você trouxe? Estava em que idioma?
Eu já vi suas fotos da Índia? Não me lembro...

Não entendi o que a Mona Lisa ou a Argentina faziam nos comentários :-O

Eduardo Trindade disse...

Se a Toupeirinha falou, eu não duvido!
Eu adoro Portugal! Posso brincar às vezes, principalmente porque o jeito de falar é diferente do nosso, mas ainda vou te levar para lá (e, enquanto isso, vamos vendo Masterchef)!
Trouxe um livro em inglês e umas revistas em hindi!
Um dia antes de chegar na China eu tinha feito conexão de um dia em Paris, daí a Mona Lisa. E, logo nos primeiros dias em Pequim o Brasil jogou com a Argentina pela semifinal do futebol nas Olimpíadas. Eu acabei conseguindo um ingresso para esse jogo - e a Argentina deu uma surra no Brasil (3x0).