terça-feira, 31 de maio de 2011

The magic of traveling

The magic of traveling is all about meeting people.* Há lugares que sei que são lindos mas que para mim não tiveram graça porque eu estava sozinho Há também lugares que poderiam passar em branco mas que a presença de alguém torna inesquecíveis.
Faz 15 anos, fizemos as contas. Há 15 anos, eu e Darko começamos a nos corresponder - ele na Croácia, eu no Brasil. Tornamo-nos amigos, trocamos histórias sobre nossas vidas e nossos países (quão pouco se ouve falar da Croácia por aqui!). Nosso meio eram as cartas, cartas mesmo, só bem recentemente passamos a nos escrever pela Internet.
E, mais recentemente ainda, o que era um convite vago se tornou real: estive finalmente na Croácia, Darko e sua família me receberam com tudo que alguém poderia querer.
Foi uma mescla de novidades e de (re)encontro com o que já me era familiar. Conversamos muito, lembramos histórias, vimos fotos. Mas estar com alguém pessoalmente sempre é diferente de se corresponder à distância, e neste ponto não me decepcionei. Darko tem quase que exatamente a mesma idade que eu, é interessante descobrir o quanto nossas vidas, em países distantes, são ao mesmo tempo parecidas e diferentes. A casa é uma joia, a cidade é pequena e encantadora (e quase colada a outras cidades um pouco menos pequenas e ainda mais encantadoras).
A família não poderia ter me tratado melhor. A comida... Comi muito, de tudo. Parece que ainda tenho no céu da boca o sabor daqueles almoços, o cheiro daquelas palačinke (panquecas!), a frescura daquela salada de frutas... Sim, comi até não poder mais. E como poderia ser diferente se, mesmo quando eu já estava satisfeito, aquela gente simpática ficava insistindo para eu comer mais e mais?!
Os pais dele falam bem pouco de inglês. Uma dificuldade? Talvez, porque afinal eu não sei tanto de croata quanto gostaria. Mas sobretudo uma experiência riquíssima na prática do pouco que sei da língua. E, mais do que isso, para descobrirmos que a amizade vai muito além de qualquer possível barreira. Acho até que a questão da língua, no final, das contas, ajudou: criou laços, como sempe se criam laços quando vemos alguém se dedicando a entender a nossa cultura.
Espero voltar lá. De preferência, com um vocabulário um pouco maior de croata (foi o que prometi). Também adoraria recebê-los em casa, no Brasil. Sei que tudo isso é difícil. Mas há ainda tanto a ver, a viver, a falar!
Trouxe para o Brasil três livros em croata. O primeiro é um livro de receitas: já que estou longe, quem sabe não relembro um pouco do país ousando recriar alguns de seus sabores na minha cozinha? Outro é um livro infanto-juvenil, não muitas páginas com letras relativamente grandes e algumas ilustrações. Ótimo para iniciantes no idioma como eu! E o terceiro livro é também indispensável: um dicionário para me socorrer na leitura dos outros dois...

* A magia de viajar é toda uma questão de conhecer pessoas. Com o perdão da língua portuguesa (que eu amo), esta frase fica tão mais bonita em inglês...

2 comentários:

disse...

agora deu mto mais vontade de ir pra croácia!

Bruno Soft disse...

Fiquei querendo
comer as comidas!!!
rsrsrssrs
Se só de vc mudar de uma casa
pra outra os sabores mudam,
imagine outro país!
Outro universo