segunda-feira, 20 de abril de 2009

Próxima parada: Portugal


Tome o leitor as páginas seguintes como desafio e convite. Viaje segundo um seu projecto próprio, dê mínimos ouvidos à facilidade dos itinerários cômodos e de rasto pisado, aceite enganar-se na estrada e voltar atrás, ou, pelo contrário, persevere até inventar saídas desacostumadas para o mundo. (...) A felicidade, fique o leitor sabendo, tem muitos rostos. Viajar é, provavelmente, um deles. Entregue as suas flores a quem saiba cuidar delas, e comece. Ou recomece. Nenhuma viagem é definitiva.

Assim José Saramago apresenta a sua Viagem a Portugal, livro que é crônica, é guia turístico, e também é algo fascinante que eu me abstenho de descrever, pois o prêmio Nobel da nossa língua não precisa das minhas palavras a explicar as suas. Fato é que se trata de um livro incomum. Encantador.
Tanto quanto uma viagem a Portugal pode ser encantadora. Especialmente para nós brasileiros. Afinal, herdamos de Portugal a língua (e com a língua um certo modo de pensar) e aspectos de religiosidade, musicalidade, gastronomia. Acima de tudo, herdamos de Portugal a saudade de um povo navegador, cantada desde antes de Camões e ainda depois de Pessoa. Mesmo um brasileiro que não descende explicitamente de portugueses tem tudo isso muito vivo. Semelhanças e diferenças a serem exploradas.
Tudo isso para anunciar que meu próximo destino se encontra no além-mar, nas terras lusas. Desta vez, com a companhia de minha mãe, com quem compartilharei (ou multiplicarei) os passos. Viagem que se dividirá em duas partes: Açores e Portugal continental.
A parte do continente dispensa apresentações demoradas; será um trajeto não linear entre o Porto e Lisboa, do qual eu pretendo falar à medida que estiver sendo percorrido. E conhecer os Açores representa uma ligação afetiva com terras longínquas e pouco exploradas, talvez ainda mais afetiva do que aquela com as cidades do continente. Explico. Nascemos e nos criamos numa cidade fundada por açorianos. Mesmo que Porto Alegre hoje seja uma metrópole com inúmeras influências, das quais os colonizadores originais são apenas uma delas, a memória dos açorianos segue viva em monumentos e histórias. Faz parte do imaginário popular. Como se não bastasse, os Açores são não uma, mas um punhado de ilhas praticamente perdidas na imensidão do oceano. Pode haver algo mais simbólico que isso? Pode alguém como eu, que já escreveu sobre o mar, ilhas, cais, barcos e pescadores, não se sentir atraído pelos Açores? Nosso porto (e nossa Porto) cresce e se enobrece em vista de tantos portos.
Resta agora içar as velas e se lançar ao mar. Sem esquecer as cartas, tantas léguas a serem semeadas. Cada carta será um convite para nos acompanhar nesta viagem. Então... vamos a bordo!

9 comentários:

Marta disse...

Muito antropológico, Eduardo!

E lindo, esse multiplicar os passos com a tua mãe, nessa viagem :)

Quando o barco atracar no Porto, lá estarei, à V. espera!

abraço de boa viagem

brasileirinha disse...

AGORA ME DEU MAIS VONTADE DE CONHECER PORTUGAL. TALVEZ ATÉ LEIA O LIVRO ANTES DE IR.
ÓPTIMA SEMANA PARA TI. JÁ ESTOU ATÉ A ESCREVER ASSIM.
ABRAÇOS. FUI.

rejane disse...

Como em tantos outros dos teus textos, mais uma vez fiquei sem palavras... E com muito mais motivos... Daqui a 11 dias estaremos partindo nessa viagem, dessa vez eu farei parte viva, enquanto nas outras era espectadora... E isso nao tem preco... Nao tem palavras e nao tem como descrever a sensacao.. A felicidade eh a preparacao, a espera... sera o caminho e depois as lembrancas que ficarao para sempre como a mais bela joia a ser exibida em historias que contaremos ate cansar... fotos que mostraremos ate enjoarem... mas que pra mim serao lembrancas vivas da mais emocionante aventura!

Michelle Müller disse...

Báh amigo que delícia de texto... é tão bom vermos tua expectativa para a viagem! Adoro este livro de Saramago ele atiça a vontade de ir a Portugal, como ele ama aquela terra!! Tudo de bom pra ti e pra tua mãe nessa viagem, que ela seja iluminada!!
estrelinhas coloridas pra ti....

Viviane Moreno disse...

Oi Edu...
Que maravilha, estou preparada pra navegar...rsrsrsrs
Nos conte tudo tá??
Talvez passe pro lá em novembro quandoe stiver indo para a Espanha, me encantaria conhecer Lisboa, Porto...uauuuuuuuuu!

Boa viagem amigo!

Mil bjussssssssssss

Cristiane Marino disse...

Oi Eduardo!

Muito Obrigada pela sua visita e comentário tão carinhoso!

Também gostei muito do seu blog e de saber que publicou um livro. Parabéns!!! voltarei mais vezes, é muito prazeiroso ler seu blog!

Grande beijo

Dalaila disse...

e que bem que ficas por aqui entre as letras dos livros portugueses

carla m. disse...

Ah, morri de inveja. Não só pelo belíssimo roteiro, mas pela inspiração com que tu vai até ele.

Os Açores devem ser mágicos e quem como nós Porto Alegrenses se sente devedor dos que lá vieram?! Portugal tem seus encantos, especialmente gastronômicos, hum...

Que os passos de mãe e filho sejam produtivos.

Luísa disse...

Terras lusas cá te esperam!
Mas antes:
- "O que são aquelas aves, além naquela ilha tão verde?são águias~?são corvos?
- não marinheiro!São Açores!"

Eis a origem do nome do conjunto das ilhas, aquando dos descobrimentos. Açores...
A beleza natural do conjunto das ilhas (Terceira, S.Miguel, Flores...) é tão grande que nos deix de boca aberta!
Aproveita e visita a fábrica do chá. Leva alguma variedade para saboreares o chá em terras de calecute!

Quanto ao continente, Portugal é um país bonito, de gente acolhedora, afável, predisposta a ajudar qualquer visitante.
Do Porto a Lisboa, há uma imensidão de belos espaços a visitrar. BOA VIAGEM!
Se passares por Guimarães (cidade onde nasceu Portugal), visita o Convento de st.ª Clara...vais adorar!
Muito boa viagem. Aproveite bem todos os minutos da viagem.Espero que tudo corra bem, tal como desejam!